Ar Comprimido

Reduzindo custos da secagem de ar através de projetos inteligentes.

 

Um assunto recorrente em nosso blog tem sido a grande diferença entre alugar um equipamento versus locar uma solução especializada. Em demandas que exigem grande precisão nas especificações técnicas, contratar o projeto completo de uma empresa especializada vai muito além do maquinário e envolve a participação de profissionais que vão garantir a assertividade da solução desde o planejamento até a operação. E isso inclui também os acessórios mais adequados.

Em aplicações de ar comprimido e nitrogênio, por exemplo, um aspecto que sempre corre o risco de receber menos atenção do que deveria, é a qualidade da secagem do ar.

Em qualquer sistema que envolva ar comprimido, os secadores de ar e o ponto de orvalho adequado são essenciais para evitar que a umidade afete a performance dos equipamentos.

Quando o ar é comprimido, a quantidade de vapor de água contida na atmosfera original permanece a mesma, elevando o ponto de orvalho pelo aumento da concentração. O ponto de orvalho é a temperatura mínima alcançada sem condensação.

O ponto de condensação do ar à pressão ambiente é bem diferente do ponto de condensação do ar comprimido.

Se o projeto não for corretamente dimensionado, poderá ocorrer condensação de água nas linhas de ar, causando uma série de problemas:

  • – Corrosão
  • – Focos de crescimento bacteriano
  • – Bloqueios
  • – Perda de pressão
  • – Consumo elevado de energia

O ar seco, com o ponto de orvalho correto reduz a frequência de manutenção necessária em toda a linha de distribuição. Além disso, elimina potenciais contaminantes para o produto final.

Quase todas as plantas requerem o uso de ar seco para processo e para instrumentação. Alguns exemplos mais comuns são:

  • Secagem de tubulação – elimina a umidade antes do fluxo de produção.
  • Extração de petróleo e gás – instrumentação e processo.
  • Processamento de alimentos – instrumentação, processo e prevenção da contaminação do produto.
  • Papel e celulose – instrumentação, processo e prevenção de contaminação.
  • Produtos químicos – instrumentação, processo e prevenção de contaminação.
  • Plantas de separação de ar – normalmente requerem temperaturas de -60 graus Celsius ou inferior.

A complexidade de um sistema de secagem do ar é muito maior do que parece, e existem diferentes formas de configurá-lo afetando não apenas a qualidade, mas também os custos.

Como exemplo, podemos tomar o caso de atuação da Atlas Copco Rental em um projeto de secagem de tubulações em uma estação de medição de gás natural em Scarborough, Ontário, Canadá.

O desafio era garantir uma temperatura de ar comprimido a 80 graus Celsius, em uma localidade onde o frio do inverno é implacável.

Normalmente, para este tipo de aplicação, uma solução básica seria secar o ar comprimido e, em seguida, aquecê-lo usando um queimador a diesel de algum tipo. Mas a equipe da Atlas Copco Rental utilizou uma estratégia diferente, para economizar energia.

Um compressor de ar modelo PTS 1600 CFM, isento de óleo conforme a norma ISO 8573-1 Classe Zero foi combinado a um secador dissecante de 1600 CFM. A inovação foi implementar um by-pass para que o ar não passasse pelo aftercooler, reduzindo a energia necessária para seu aquecimento. Isto foi maximizado por um sistema de isolamento térmico que incluiu até as mangueiras, eliminando todos os pontos de fuga do calor.

Se o cliente tivesse apenas locado equipamentos da forma tradicional, não teria se beneficiado dos insights trazidos pelas décadas de experiência da Atlas Copco Rental, cuja economia de energia no projeto reduziu significativamente os investimentos.

Sobre Nós

Blog da Atlas Copco Rental Brasil

Todos os direitos reservados - 2018