descoqueamento

Descoqueamento em refinarias: quando e como a terceirização é a melhor opção.

Uma das muitas tarefas cruciais para maximizar a produtividade em uma planta de refino de petróleo é o “decoking”, ou descoqueamento.

O craqueamento a vapor é um processo petroquímico amplamente utilizado no qual uma longa cadeia de hidrocarbonetos é decomposta em moléculas mais simples através de altas temperaturas e alta pressão. Cada vez que um hidrocarboneto é craqueado, uma molécula de carbono (coque) é liberada. Esses coques tendem a formar uma camada nas paredes do forno, que irá progressivamente dificultar a transferência de calor. Como resultado, o forno consumirá muito mais energia. E no longo prazo, o processo de refino perderá qualidade e produtividade, até finalmente chegar a falhas críticas.

Para manter isso sob controle, são necessárias operações regulares de limpeza.

A maneira usual de se livrar desses depósitos de coque é injetar ar comprimido a uma alta temperatura. Desta forma a camada de carbono solidificado é queimada, convertida em CO2 e ventilada para fora da instalação. Sem um processo de descoqueamento executado em regime periódico, uma refinaria não tem como funcionar.

A decisão, portanto, não é quando fazer, mas sim como. Com recursos próprios ou com um fornecedor externo? E se for este caso, qual o tipo de terceirização?

A análise pela qual passa esta decisão, deve considerar as seguintes variáveis:

– Se a planta já possui capacidade de fornecimento de ar comprimido sem comprometer o abastecimento de outros processos. O descoqueamento exige grandes vazões de ar comprimido.

– Qual o menor tempo de execução possível para a operação. Mesmo que exista uma alto volume de ar comprimido disponível, é necessário considerar se ele é o suficiente para a condição de menor prazo. Cada minuto de shut down significa receita perdida, portanto antes de realizar a manutenção é necessário planejar como isso poderá ser feito com o mínimo impacto na produção.

– Além destes requisitos, é preciso analisar a qualidade do ar comprimido. Apenas compressores de ar isentos de óleo, certificados pela norma ISO 8573- 1 Classe Zero, garantem que a sua instalação não será contaminada. Além disso, a temperatura correta do ar comprimido no processo desempenha um papel muito importante.

– Também os acessórios precisam ser considerados, tais como secadores por exemplo. A contaminação por umidade é igualmente indesejável.

– Finalmente, é necessário considerar a alocação de equipes e, ao mesmo tempo, garantir que o restante da planta permaneça operacional. Em outras palavras, é preciso projetar um processo de trabalho do início ao fim.

É importante considerar que dependendo do tipo de planta e processo os intervalos entre manutenções podem ser longos, às vezes de muitos anos. E quanto maiores estes intervalos, menos faz sentido investir tempo e dinheiro numa operação (e administração) próprias.

Se esta análise levar à conclusão de que o melhor custo benefício reside na terceirização, um outro nível de decisão ainda precisa ser considerado.

A solução pode passar pela simples locação dos equipamentos necessários, ou pode englobar o projeto completo, incluindo seu planejamento, operação e gestão. Isso incluirá portanto toda uma gama de profissionais especializados e consequentemente demandará a contratação de um fornecedor especializado na locação de soluções para projetos de descoqueamento.

Não existem muitas empresas com este tipo de especialização no mercado, mas estes seletos fornecedores, por outro lado, estão acostumados a executar os processos mais específicos e estão equipados com as ferramentas certas, garantindo mais eficiência. E apesar de ter que pagar por isso, no final das contas, considerando todos os aspectos analisados acima, você acabará economizando tempo e dinheiro!

Um fornecedor especializado geralmente está em posse de uma grande frota de compressores de ar. Isso garante que uma quantidade suficiente de equipamentos estará disponível, reduzindo o tempo de inatividade ao mínimo. Ele também poderá fornecer mangueiras / tubulações, secadores e coletores para interligar diferentes compressores de ar à sua instalação.

A disponibilidade dos técnicos é de 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Mas certamente, o fator determinante e final na decisão, está no custo de administração. Quanto custa monitorar anualmente a refinaria para manter um plano atualizado de manutenção programada? E a identificação de fornecedores, equipamentos, acessórios, cotações, reuniões, supervisão e resolução de problemas? Contratar um fornecedor “one stop shop” pode apresentar um melhor custo/benefício quando contabilizados todos os custos indiretos e imprevisíveis. Especialmente em modalidades contratuais focadas na entrega do resultado final.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *